Seja o primeiro a compartilhar

6 lugares que carregam histórias fascinantes

Nós, seres humanos, adoramos uma boa história, não importa se elas são reais ou inventadas. Desde pequenininhos, quando ouvíamos os contos de fadas, amamos nos engajar a uma história bem contada. E você já notou que os lugares também podem carregar boas narrativas?

Selecionamos aqui 6 lugares com boas histórias para contar. Confira a nossa lista.

1. A cidade japonesa que escapou de um tsunami

(Fonte: Research Gate/Reprodução)(Fonte: Research Gate/Reprodução)

A pequena cidade de Fudai, que fica a 500 km de Tóquio, tem uma história inacreditável. Ela foi vitimada por dois tsunamis e centenas de seus moradores foram mortos quase que imediatamente. O então prefeito de Fudai, Kotaku Wamura, achou que algo precisava ser feito.

Para proteger a cidade de futuros tsunamis, o prefeito mandou construir um muro de cerca de 15 metros, para proteger os portos marítimos de Fudai contra ondas gigantes. Ele foi construído entre os anos de 1972 e 1984 e teve um custo de 30 milhões de dólares. Nesse período, o prefeito foi duramente acusado pelos locais de estar desperdiçando dinheiro público.

No entanto, quando um tsunami ocorreu em 2004, atingindo as costas de 14 países e matando quase 300 mil pessoas, Fudai não sofreu nenhuma perda. Por conta disso, os moradores da cidade passaram a fazer romarias ao túmulo do prefeito Wamura como forma de agradecimento.

2. A casa sangrenta

(Fonte: Adobe Stock)(Fonte: Adobe Stock)

Em 1986, uma família se mudou para uma casa na cidade de Saint Quentin, na França. Depois de um mês, coisas estranhas passaram a acontecer: eles começaram a ouvir gemidos vindos do térreo, e barulhos de panela batendo na cozinha.

Passou-se mais um tempo, e a esposa viu algo que mudaria a vida de todos. Algo pingava das paredes da cozinha. O marido supôs que era apenas tinta velha, mas a substância começou a pingar em outros cômodos da casa. A família, então, resolveu chamar a polícia e foi confirmado: era sangue humano.

A família se mudou da casa, mas deixou uma “armadilha”: colocou pequenas quantidades de farinha no piso, para que, caso alguém entrasse lá, deixasse marcas de seus sapatos. Quando eles voltaram, a farinha continuava intacta, mas as paredes seguiam sangrando.

Resolveram, então, tomar uma atitude menos científica. Eles chamaram um padre, que diagnosticou a casa como “amaldiçoada”. Anos depois, a casa foi derrubada e, embaixo dela, foram encontrados cerca de 50 cadáveres de soldados que lutaram na Primeira Guerra Mundial.

3. A Caverna de Gelo de Narusawa

(Fonte: Hideo in Japan/Reprodução)(Fonte: Hideo in Japan/Reprodução)

Na floresta de Aokigahara, localizada na base do Monte Fuji, no Japão, está a Caverna de Gelo de Narusawa — uma formação natural repleta de pilares de gelo. Ela foi criada após uma erupção de um vulcão no Monte Fuji, há cerca de 1,5 mil anos, e permanece inteira até hoje (dá até para visitá-la).

Uma curiosidade sobre esta Caverna de Gelo é que ela foi usada para conservar alimentos muito antes de as geladeiras serem inventadas. Durante os séculos XVII e XIX, o gelo costumava ser cortado de suas paredes para ser enviado para a residência do shogun (como era chamado o maior comandante do exército), que ficava a 150 km dali, em Tóquio.

4. O cemitério de baleias na Sibéria

(Fonte: Wikipedia/Reprodução)(Fonte: Wikipedia/Reprodução)

Na Ilha de Yttygran, Sibéria, há um ponto turístico inusitado: um cemitério de baleias. Acredita-se que esse cemitério foi criado há cerca de 600 anos, quando povos nativos teriam matado os mamíferos para usar sua gordura e carne.

Os ossos das baleias foram cravados no solo do local, assim como seus maxilares, costelas e colunas vertebrais, que estão lá até hoje. O interessante é que esses ossos parecem “organizados”: seus crânios foram enfileirados, assim como as mandíbulas e as costelas. Há alguns indícios que estes restos foram armazenados para fins religiosos.

5. A estranha religião da ilha de Tanna

(Fonte: Vice/Reprodução)(Fonte: Vice/Reprodução)

Na remota ilha de Tanna, localizada em Vanuatu, um estado insular da Melanésia, parte da população tem uma crença bastante curiosa. Eles prestam devoção a um soldado americano que lutou na Segunda Guerra Mundial chamado John Frum.

Todo dia 15 de fevereiro os nativos da ilha fazem homenagens a Frum na expectativa de que ele traga bênçãos a eles. Estas “bênçãos”, na verdade, são bens materiais como carros, remédios, televisões e Coca-Cola. Mas há uma condição: para serem abençoados nesta religião, eles precisam rejeitar todos os aspectos culturais e materiais da Europa, continente que os colonizou.

6. O relógio de Praga

(Fonte: Histórias de Terror/Reprodução)(Fonte: Histórias de Terror/Reprodução)

Praga, a capital da República Tcheca, é um dos destinos mais desejados dos turistas que visitam a Europa. Dentre os vários pontos para visitar na cidade, está o local onde foi instalado o famoso relógio astronômico de Praga, no ano de 1410.

Esse é considerado o relógio mais antigo ainda em funcionamento. Além de ser esteticamente belíssimo, ele não marca apenas as horas: também registra as fases da lua e o movimento das estrelas. Além disso, ele é decorado com estátuas — que simbolizam a Vaidade, a Ganância, a Luxúria e a Morte — que se movimentam parcialmente com o passar das horas.

O relógio ainda carrega várias lendas. Uma delas é que seu criador, um mestre relojoeiro chamado Hanuš, teria sido cegado após a construção do relógio para que ele nunca mais pudesse reproduzir sua obra-prima em outros locais.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.