Seja o primeiro a compartilhar

Angkor: a antiga capital que se desenvolveu e sucumbiu devido à água

O templo de Angkor Wat é um dos lugares mais visitados do mundo anualmente. Além dos turistas de diferentes países, o local também é o destino de peregrinações de cambojanos, que vão até o local parte dos rituais de Ano Novo Khmer.

Mas Angkor também já foi a capital de um antigo império asiático por mais de cinco séculos. De 802 até o início do século XV, a cidade foi um importante local para o império Angkor. E tudo começou e terminou devido à água.

Angkor, a "Cidade Hidráulica"

(Fonte: Gettyimages)(Fonte: Gettyimages)

O início do império Angkor tem início quando Jayavarman II realizou um ritual nas águas sagradas do Lago Tonle Sap. Com isso, ele se declarou o devaraja — o deus-rei —, e dá início ao Império de Angkor (esse ritual passou a ser repetido pelos seus sucessores).

Dan Penny, pesquisador da Universidade de Sydney, na Austrália, explica que o lugar é propício para ser escolhido como uma capital. "As planícies de Angkor são ideais para o florescimento de um império. Há vastos recursos, como solo bom para [plantio de] arroz perto do Lago Tonle Sap. O lago é um dos locais de pesca continental mais produtivos do mundo, e Angkor fica bem na costa norte desta enorme tigela de comida. Angkor cresceu e se tornou um sucesso apoiada nestes recursos".

Para que uma cidade como Angkor pudesse ser criada no local, foi necessário a construção de canais artificiais que direcionavam a água da montanha Phnom Kulen para as planícies da cidade. Posteriormente eles foram usados para transportar os tijolos que construíram a cidade.

E os canais também serviram para que não faltasse água ao longo do ano, que era utilizada para abastecer a população, a agricultura e a pecuária e, principalmente, para sustentar as fundações dos templos. Como o solo no local é muito arenoso, ele não é suportaria sozinho o peso das pedras.

Para contornar o problema, os engenheiros da época perceberam que a mistura da areia com a água poderia deixar o solo mais estável. Ao longo dos séculos, esse sistema de canais foi ampliado com diques, fossos, e reservatórios. Isso tudo fez com que o arqueólogo francês Bernard Philippe Groslier batizasse Angkor como "Cidade Hidráulica".

A queda de Angkor

(Fonte: Gettyimages)(Fonte: Gettyimages)

Durante muitos anos, acreditou-se que a queda de Angkor aconteceu como uma consequência da invasão dos siameses — povo oriundo de Sião, na atual Tailândia —, em 1431. Porém, hoje a ideia de que o sucesso da cidade também foi a causa da sua morte tem se tornado mais aceita pelos historiadores.

De acordo com uma pesquisa recente, entre o final do século 14 e início do século 15, uma mudança climática acentuada fez com que a região passasse por um longo período de chuvas de monções, seguido de uma intensa seca.

Isso teria contribuído para que a cidade ficasse fragilizada, facilitando o ataque dos siameses. Assim, os habitantes não tiveram escolha senão abandonar Angkor.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.