Seja o primeiro a compartilhar

Por que produtos naturais nem sempre são melhores que sintéticos?

Produtos de beleza fazem parte do dia a dia de mulheres ao redor do mundo inteiro, sejam eles sintéticos ou naturais. De maneira geral, muitas pessoas optam por pagar mais caro na segunda opção com o pretexto de que os produtos naturais seriam mais benéficos para a pele. No entanto, a realidade não é bem assim.

É comum que os compradores de cosméticos pensem que os ingredientes naturais são mais puros e mais gentis com o corpo humano do que algo feito em laboratório, mas a verdade está longe disso. Principalmente para quem sofre com acne ou reações alérgicas, adquirir produtos naturais pode se tornar um verdadeiro pesadelo. Entenda mais sobre o assunto nos próximos parágrafos!

Químicos em cosméticos

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Quando uma compradora tenta evitar os produtos sintéticos, na maioria das vezes ela está tentando fugir de determinados ingredientes apontados por pesquisas como prejudiciais. Nessa categoria podemos achar os conservantes, como parabenos, e outras substâncias como petroquímicos e ftalatos — que imitam hormônios no corpo e, em níveis elevados, podem causar até câncer.

Embora órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sejam responsáveis por manter esse tipo de produto sob análise, sempre verificando o excesso de produtos nocivos na fórmula de cosméticos, continua sendo comum que os sintéticos causem um pouco de receio em algumas consumidoras.

No entanto, comprar produtos naturais não garante nem um pouco que você não encontrará esses ingredientes de qualquer maneira. Resumidamente, a palavra "natural" para cosméticos não tem bem uma regulamentação, o que deixa a definição do termo bastante vaga. 

Duas vertentes

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Descobrir quais produtos são naturais e quais são cosméticos pode ser realmente confuso. Afinal, um mesmo produto pode conter uma mistura das duas partes em suas fórmulas e muitos químicos são projetados para simplesmente replicar a natureza. Logo, o grau em que algo é natural varia muito de como esse produto foi obtido ou processado.

Dessa forma, costumamos pensar que os ingredientes naturais são melhores para o meio ambiente do que os sintéticos. Na prática, no entanto, as coisas são diferentes. As práticas agrícolas utilizadas para cultivar ingredientes naturais podem apoiar a biodiversidade e melhorar a saúde do solo, mas também podem aumentar as emissões de gases de efeito estufa (GEEs).

Em alguns casos, o fornecimento de ingredientes naturais simplesmente não é viável ou ético. Um exemplo claro disso é o esqualano, um óleo natural encontrado no fígado dos tubarões e que é usado para fazer cosméticos, como desodorantes, produtos para pele e protetores solares. Portanto, se ser natural significa proteger o meio ambiente, como isso poderia afetar a vida de tantas criaturas?

Produtos sintéticos, em grande maioria, são feitos em escala em fábricas que precisam queimar combustíveis fósseis para operar, o que é igualmente maléfico para o planeta. Com isso em mente, o pensamento entre ingredientes sintéticos e naturais se torna extremamente vago. No fim das contas, a questão que precisa estar em destaque é como as empresas de cosmético estão atingindo o nosso planeta e quais devem ser valorizadas pelo seu trabalho ecológico. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.